De volta aos palcos: Joãosinho e Laíla: Ratos e Urubus, larguem minha fantasia”

Spread the love

De volta aos palcos: Joãosinho e Laíla: Ratos e Urubus, larguem minha fantasia”

 DOIS GÊNIOS DO CARNAVAL CARIOCA TÊM SUAS HISTÓRIAS REVERENCIADAS NO TEATRO DULCINA, ATRAVÉS DO PROJETO NEGRA PALAVRA

Após a temporada de sucesso no Sesc Copacabana, o espetáculo “Joãosinho e Laíla: Ratos e Urubus, larguem minha fantasia”, com texto de Márcia Santos e direção de Édio Nunes, retorna aos palcos para apenas quatro apresentações, no Teatro Dulcina em cartaz de quinta a domingo, entre 10 a 13 de novembro, às 19h. A montagem propõe render sua homenagem ao samba e a essas relevantes figuras do carnaval carioca, cujas vidas fazem parte da história da cidade do Rio de Janeiro. Pode-se dizer até mesmo, da história do país, dada a importância deste patrimônio cultural popular e histórico que é o carnaval. O espetáculo percorre por acontecimentos de grande comoção midiática entre os anos de 1989 e 1990 e traz oito sambas enredo costurando a cronologia do espetáculo.

Cridemar Aquino e Wanderley Gomes dão vida aos ícones do carnaval, Laíla e Joãosinho Trinta, respectivamente, trazendo a genialidade do diretor de carnaval e carnavalesco no emblemático desfile da Beija-Flor de Nilópolis em 1989, com o enredo “Ratos e urubus, larguem minha fantasia”. O maior desfile da história do carnaval do Rio de Janeiro traz a Praça da Apoteose para o palco. O elenco, que ainda conta com Ana Paula Black, Milton Filho e Fábio D Lellis, leva ao público um pouco da dinâmica dos bastidores do carnaval, a rotina dos barracões, os sambas de enredo e as figuras que compõem esse universo.

Todo aquele contexto revolucionário de mendigos fantasiados e mendigos reais, com a réplica da estátua do Cristo Redentor – em farrapos – coberta por um plástico preto, que tantas reflexões levaram ao público que lotava a Marquês de Sapucaí chega agora ao teatro provando o quão importante é o carnaval para a quebra de paradigmas, a desconstrução de preconceitos, e para a formação da cultura e valores de um povo. A ideia surgiu de uma conversa de Édio Nunes, diretor da peça, que participou do histórico desfile, com o coreógrafo de comissão de frente Patrick Carvalho.

“Jamais esqueci a cena em que nós, os mendigos, arrancávamos o plástico preto (desfile das campeãs) que cobria a réplica da estátua do Cristo Redentor, um Cristo mendigo, que havia sido censurado pela Igreja e execrado pela mídia. Durante o desfile, a gente foi arrancando aquele plástico, desvelando aquele Cristo, provocando uma comoção. Essa memória me veio conversando com meu amigo Patrick, sobre Laíla e Beija-Flor. Fui percebendo que havia ali um espetáculo. Resolvi, então, levar para o palco aquela memória tão viva dentro de nós, aquele desfile que foi um divisor de águas”, exalta Édio.

O polêmico enredo – que sacudiu a sociedade com um profundo debate sobre a secular questão da desigualdade social no país – tinha por trás os incríveis Joãosinho Trinta e Laíla. Geniais e geniosos, os dois construíram uma trajetória de produção criativa e campeã, e uma relação pessoal repleta de admiração recíproca, de um lado, e de conflitos e embates entre temperamentos e vaidades, de outro.

O texto é assinado por Márcia Santos. Ela observou que este ano, uma escola de samba vencera o carnaval carioca levando para a avenida os diversos aspectos de Exu, arquétipo e entidade da religiosidade africana, confirmando a importância do carnaval na desconstrução de preconceitos, na formação de conhecimento e na divulgação de valores históricos.

“Joãosinho e Laíla são, com certeza, dois dos responsáveis pela construção do espaço de transgressão e de irreverência que tem a arte, essa poderosa ferramenta social e política”, explica Márcia. O texto de autoria mostra traços da personalidade de Joãosinho e Laíla, assim como os bastidores do desenvolvimento de um desfile, figuras e elementos do universo carnavalesco. Ela continua:

– Minha sensação é de que, em sincronia com o tempo, nossa temporada no Dulcina crava a relação que o Centro da Cidade e o samba tem. Os fundamentos do carnaval nasceram no quintal da Tia Ciata. Os primeiros desfiles aconteceram no Centro do Rio de Janeiro, assim como nos dias atuais. Estar neste território é ratificar a importância deste lugar na construção de uma cultura popular.

SINOPSE

O espetáculo foca em conflitos, tendo como recorte temporal o processo de criação do desfile “Ratos e urubus” e os acontecimentos dele decorrentes, buscando jogar luz nos temperamentos, visões de mundo e de vida de cada um dos artistas.

O elenco conta a história daquele desfile e seus personagens e leva ao público um pouco da dinâmica dos bastidores do carnaval, a rotina dos barracões, os sambas de enredo e as figuras que compõem esse universo.

Serviço

 Joãosinho & Laíla

De quinta a domingo

Horário: 19:30h

Local: Teatro Dulcina

Ingressos: R$ 30,00 (inteira) e 15,00 (meia)

Endereço: Rua Alcindo Guanabara, 17 – Centro

Informações: 21 2240-4879

Horário de funcionamento da bilheteria: Aberta 1 hora antes do espetáculo

Classificação indicativa: 14 anos

Duração: 75 minutos

Lotação: sujeito à lotação


Spread the love
  • Related Posts

    “Samba de roda”: conheça o novo lançamento do Fundo de Quintal

    Spread the love

    Spread the love“Samba de roda”: conheça o novo lançamento do Fundo de Quintal O Fundo de Quintal segue sendo um dos grupos de samba mais ativos do país. Com quase…


    Spread the love

    Ex-Musa do carnaval carioca está entre as três finalistas do Miss Fitness Mundo

    Spread the love

    Spread the loveEx-Musa do carnaval carioca está entre as três finalistas do Miss Fitness Mundo e dispara: “a campeã chegou” Concorrendo ao título de Miss Fitness Mundo 2024, a modelo…


    Spread the love

    Você perdeu

    Unidos da Tijuca transforma passista em musa

    Unidos da Tijuca transforma passista em musa

    Quitéria Chagas será coroada Rainha de Bateria do Império Serrano

    Quitéria Chagas será coroada Rainha de Bateria do Império Serrano

    Unidos de Padre Miguel convoca compositores para entrega de sinopse

    Unidos de Padre Miguel convoca compositores para entrega de sinopse

    Unidos de Bangu anuncia enredo

    Unidos de Bangu anuncia enredo

    Tatiana Breia recebe a família Baderna na feijoada da União da Ilha

    Tatiana Breia recebe a família Baderna na feijoada da União da Ilha

    Ação Social na quadra da Unidos de Padre Miguel

    Ação Social na quadra da Unidos de Padre Miguel