Caju pra Baixo embala o grande retorno da feijoada da Beija-Flor, paralisada pela pandemia

Estreando na quadra da Beija-Flor, o grupo Caju Pra Baixo foi a grande atração da feijoada da escola na quadra em Nilópolis, no último sábado, 24. Com origens na Zona Norte da capital, os cinco músicos do conjunto desembarcaram na Baixada Fluminense para cantar e sambar junto ao público da azul e branca, restrito a 40% da lotação do local por causa da pandemia. O evento marcou a retomada da tradição mensal da escola, paralisada pela Covid-19.

— É um prazer imenso estar numa escola de muitos e muitos títulos, pela qual tenho um carinho imenso. Chega a ser uma emoção, porque já tocamos em várias escolas de samba do Rio de Janeiro, mas a Beija-Flor tem um “Q” diferenciado. Espero que seja a primeira de muitas — disse o vocalista Maguzinho, elogiando também o sabor da feijoada nilopolitana.

No palco, além de sambas históricos da Deusa da Passarela embalados por seu carro de som, a plateia curtiu hits do Caju pra Baixo, como “Bloco 2” (ouvida mais de 10 milhões de vezes no Youtube); “Nêga”, “Briga da paixão” e “Eu pego”. O show, assim como o momento da refeição, seguiu protolocos sanitários estabelecidos pelas autoridades, incluindo distanciamento entre as mesas e as pessoas, higienização das mãos com álcool gel e uso de máscara de proteção facial. As recomendações foram reforçadas pela equipe da quadra.

Almir Reis, presidente da Beija-Flor, comemorou o sucesso da retomada da feijoada e já planeja uma próxima edição para setembro:

— Há uma importância muito grande em fazer o caixa da quadra voltar a girar, principalmente para os nossos funcionários que estavam parados desde o ano passado. Há também a emoção de reabrimos o espaço diante de tudo isso que ainda estamos passando. É muito emocionante. Vai dar tudo certo e daqui pra frente vão ser só vitórias — finalizou Reis.

 

Paulo Costa