Presidente da Imperatriz defende o carnaval e os profissionais das escolas de samba: ‘não vamos esmorecer’

Além da frustração, vem o lamento pelas famílias que serão prejudicadas, pela gama imensa de profissionais que tiram do carnaval o seu sustento’, disse a presidente Cátia Drumond

“O Carnaval é e sempre será resistência, fagulha de esperança no meio dos escombros, luz de sorriso na tristeza e no caos. Digo, com o coração de mãe e de sambista partido, que batalhei junto a minha diretoria e todas as equipes de trabalho para que a Imperatriz Leopoldinense chegasse ao final de fevereiro com um grande carnaval pronto.

Batalhamos, mesmo com toda a dificuldade destes dois anos de pandemia, para apresentar um espetáculo grandioso. Agora, com o nosso projeto praticamente pronto, recebemos a notícia do adiamento de nosso sonho, da prorrogação de nossa espera. Além da frustração, vem o lamento pelas famílias que serão prejudicadas, pela gama imensa de profissionais que tiram do carnaval o seu sustento.

Contudo, não vamos esmorecer. Vamos continuar a produção de nosso desfile e tocar em frente, vamos ensaiar e cantar como se todos os dias fossem o nosso fevereiro. Não deixaremos a cultura popular morrer. Seremos resistência, consciência e ascendência até o fim.

Eterno seja o Carnaval!
Eterna seja a nossa amada Imperatriz!“

Catia Drumond, presidente