Parceria de Wanderley Monteiro é campeã na Portela

Parceria de Wanderley Monteiro é campeã na Portela

A parceria liderada por Wanderley Monteiro foi a grande campeã do concurso de samba-enredo para o Carnaval 2022 da Portela. No ano que vem, a escola levará para a Avenida o enredo “Igi Osè Baobá”, desenvolvido por Renato Lage e Márcia Lage, que retrata a simbologia e a história dos baobás, a Árvore da Vida. O anúncio do hino para o próximo desfile aconteceu nesta quinta-feira, 30, durante a gravação do programa “Seleção do Samba”, atração inédita da TV Globo. A grande final da Majestade do Samba vai ao ar no dia 30 de outubro, logo após o “Altas Horas”.

Pela primeira vez na história do Carnaval Carioca, a disputa do samba-enredo saiu das quadras e foi para a televisão. A TV Globo em parceria com a Liesa criou o programa “Seleção do Samba”, que tem como objetivo atingir um público maior de expectadores, já que ainda não é possível fazer uma final nos moldes tradicionais, por conta da covid-19. O presidente da Portela, Luis Carlos Magalhães, vê de forma positiva a alternativa encontrada para o concurso.

“A Liesa e a TV Globo precisam avançar mais para superarem esta primeira experiência e conseguir o modelo ideal que contemple a emoção da quadra e estender o momento mágico da disputa para todo o país. Sem a pandemia tudo será mais fácil.”

Por conta da pandemia, o concurso aconteceu em formato virtual, um grade desafio para as escolas do Grupo Especial, conforme aponta o vice-presidente da Portela, Fábio Pavão.

“Foi um disputa diferente, por lives, sem público, o que permitiu um debate técnico mais aprofundado. Agradeço a todos os compositores que participaram deste processo marcado por incertezas, que se estendeu por praticantes um ano.”

No próximo carnaval a Portela será a segunda escola a desfilar na segunda-feira.

Confira a letra do samba da Portela para 2022.

 

Compositores: Wanderley Monteiro, Vinicius Ferreira, Rafael Gigante, Bira, Edmar Jr, Paulo Borges & André do posto 7

 

Prepara o terreiro, separa a mucua

Apaoká baixou no xirê

Em nosso celeiro a gente cultua

Do mesmo preceito e saber

Raiz imponente da “primeira semente”

Nós temos muito em comum

O elo sagrado de ayê e orun

Casa pra se respeitar: meu baobá!

 

Obatalá colofé

(tem) batucada no arê

Pra minha gente de fé ayeraye

Nessa mironga tem mão de ofá

Põe aluá no coité e dandá

 

Aaluba, mamãe! fiz do meu samba curimba

Mata a minha sede de axé

Faz do meu igi osè, moringa

Quem tenta acorrentar um sentimento

“esquece” que ser livre é fundamento

Matiz suburbano, henrança de preto

Coragem no medo!

Meu povo é resistência

Feito um “nó na madeira” do cajado de oxalá

Força africana vem nos orgulhar

 

Azul e “banto”, aguerê e alujá

Pra poeira levantar, de crioula é meu tambor

Iluayê na ginga do meu lugar

Portela é baobá no gongá do meu amor

 

Paulo Costa