Leão de Nova Iguaçu divulga sinopse do enredo e regulamento da disputa de samba para 2023

Spread the love

 Leão de Nova Iguaçu divulga sinopse do enredo e regulamento da disputa de samba para 2023

O Leão de Nova Iguaçu divulgou a sinopse do seu enredo para o carnaval de 2023. Na ocasião também foi apresentado o regulamento da disputa de samba para o próximo carnaval. As inscrições acontecerão no dia 3 de setembro e a disputa iniciará no dia 11 do mesmo mês. Além do troféu, a parceria campeã também levará um prêmio de R$2.000.

A agremiação tem como enredo “Orlando Orfei, o Circo que vive em mim”, que será desenvolvido pelos carnavalescos Cahê Rodrigues e Lucas Pinto. O Leão será a 12ª escola a desfilar no dia 24 de fevereiro, pela Série Prata.

Confira a sinopse

Orlando Orfei – O Circo que vive em mim

“Que fascínio ver os palhaços por mim, criança.  Adulto permaneço ainda fascinado por aquele humor, simples, absurdo.”

Orlando Orfei

 O Circo chegou!

Hoje tem Espetáculo?

Tem, sim senhor!

Acende-se uma luz no centro do picadeiro!

Uma voz com sotaque Italiano ecoa por toda a lona, arrepiando a multidão sentada em arquibancadas de madeira, o cheiro de serragem se mistura com o da pipoca e algodão doce.

Respeitável Público!

O show vai começar!

O Circo Orlando Orfei tem o prazer de apresentar nessa noite o espetáculo;

“Orlando Orfei – O Circo que vive em mim”

Venha embarcar com o Leão nessa viagem, que te levará a um mundo mágico de sonhos e fantasias, onde a alegria é o guia do espetáculo da vida.

As luzes mudam de cor, a orquestra toca os primeiros acordes que darão início a cena.

Rufam os tambores!

Uns balet de personagens encantados circundam a arena.

O homenageado está no centro. Sim é ele!

O senhor Orfei, apaixonado, apresenta a elegante amazona que surge lindamente em um vestido de veludo sobre um cavalo andaluz.

Ele a admira, o nome dela? Herta, o grande amor de sua vida.

Uma vida de lutas, vitórias, perdas e muita superação.

Orlando tinha o poder de renascer como uma fênix.

Domar feras era o seu ofício e assim foi por toda a sua vida…

Através das dificuldades, soube com maestria priorizar tudo e todos ao seu redor.

O Circo das águas dançantes e seus muitos personagens o ensinaram a trilhar um caminho de amor, união e dignidade.

Como palhaço aprendeu a sorrir, mesmo enfrentando os piores desafios que a vida lhe proporcionou.

No voo dos trapezistas, aprendeu que na vida é necessário dar o salto correto, para não despencar das alturas e torcer, para que a rede esteja montada na hora certa para lhe segurar.

A compenetração do equilibrista, ensinou a não se precipitar, olhar bem onde iria colocar os seus pés, para não dar passos errados e manter-se seguro, mesmo que a corda estivesse bamba.

Os malabaristas o ensinaram a manipular com sabedoria as oportunidades da vida e o foco no olhar para não deixar a peteca cair.

Dos contorcionistas os ensinamentos e habilidades de passar pelos problemas por mais estreitos que pudessem parecer.

E foi com os mágicos que aprendeu a ocultar as peças chaves para o seu crescimento, e só tirar da cartola os seus sonhos, quando estivessem prontos para serem revelados.

Como num passe de mágica!

Sua família, seus artistas, seus funcionários e amigos eram suas maiores inspirações diárias, para seguir em frente e manter a lona armada.

E as feras?

Se para muitos pareciam perigosas, para Orlando a empatia era total.

Ele entendia a morfologia da palavra “domador” – do LATIM domus que significa casa.

Assim, fazia com que seus animais se sentissem em seu próprio habitat, cercado de amor e carinho.

Orlando foi atacado!

Não por seus felinos, mas por outras feras.

Homens que o perseguiram acusando-o de manter animais em cativeiro e usá-los para ganhar dinheiro.

Foi difícil ser atacado por aqueles, que não sabiam que muita das vezes faltou-lhe dinheiro para honrar com seus compromissos, mas nunca para saciar a fome de seus animais.

Mas o show tinha que continuar…

E como bom circense, trazia sempre uma carta na manga.

Quando tudo parecia sombrio, Orlando surge com um gigantesco parque de diversões levando alegria a milhares de pessoas.

Você lembra do Tivoli Park da Lagoa?

Foi criado por ele e fez parte da vida de muitos cariocas e, durante anos, manteve viva a infância dentro de milhares de pessoas.

O homem do circo vivo era o “Rei da Alegria”, sua paixão era colorir a vida das pessoas.

Orlando escolheu a cidade de Nova Iguaçu para viver o resto de sua vida. Recebeu o título de cidadão Iguaçuano e hoje a cidade o abraça, nessa linda e justa homenagem.

O Circo que habitou em seu coração durante décadas ficou marcado na memória de todo carioca.

Orfei foi extremamente importante para as transformações que o Circo sofreu ao longo de sua história.

Sua paixão mantém até hoje acessa a chama de todos aqueles apaixonados que carregam o Circo no coração.

O Circo que vive em mim, vive em você e em todos aqueles que trazem dentro de si a sua eterna criança.

Uma vez perguntado;

O que você faria se o Circo não existisse?

Ele respondeu;

Eu Inventaria o Circo!”

“Sinos! Parai, sinos!

Um palhaço morre!

E vós, não chorais!

Seja o sorriso, o choro,

Pela a morte de um palhaço

Ouves estes sons de querubins?

O paraíso está em festa:

E o mundo perdeu um amigo!”

Viva o Circo Brasileiro!

Obrigado

Orlando Orfei.

Julho de 2022

 

Cahe Rodrigues e Lucas Pinto

Carnavalescos


Spread the love