ÚLTIMAS NOTÍCIAS

1970 – As Grandes Descorbertas

1970 – Neste Ano particularmente foi incrível o carnaval, preste a completar quinze anos, já não trabalhava mais com o meu pai como ajudante de bombeiro, tinha acabado de ser aprovado e já estava trabalhando na Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, eram novos conhecimentos, novas informações era tudo muita novidade. Eu já me deslocava para o centro da cidade e outras regiões sozinho, comecei a conhecer algumas pessoas que seguiam no ônibus da linha 342 do Jardim América para a Praça Tiradentes no mesmo horário e logo culminaria em um grupo bastante animado.

Tivemos ainda grandes acontecimentos em nosso país, a ditadura militar a geração paz e amor e a copa do mundo no México. Tudo isto fez com que realmente 1970 fosse um ano para entrar na minha história.

A Portela com o enredo, “Lendas e Mistérios da Amazônia” criado por Clóvis Bornay e Arnaldo Pederneiras que se tornou um clássico a partir deste carnaval, o carro abre-alas da Portela passou a trazer definitivamente a águia como símbolo da escola. Ao som do recém-lançado “Foi um rio que passou em minha vida”, de Paulinho da Viola, a Portela se aquecia e empolgava sua enorme torcida. O grito de “já ganhou” podia ser ouvido antes mesmo do início do desfile, arrancando lágrimas e criando a atmosfera mágica que só os desfiles históricos alcançam.

O Acadêmicos do Salgueiro pede licença ao som de seus tamborins e na base do ronco da cuíca, com o enredo “Praça XI Carioca da Gema, de Fernando Pamplona” apresentam empolgação. Neste desfile a passista Garrinchinha encantou a Avenida Presidente Vargas.

A Estação Primeira de Mangueira com o enredo “Um Cântico à Natureza”, apresentou um desfile com grande riqueza em suas fantasias. A escola estava bastante preocupada com a cronometragem, motivo da correria de algumas alas, de qualquer modo a escola deu um show inesquecível.

1970 – A Seleção Brasileira de Futebol foi a Campeã da Copa do Mundo, tornando com esta vitória a primeira Tricampeã de Futebol.

Aconteceu no Carnaval

1970 – Foi reinstituído o quesito cronometragem. Os desfiles tinham inicio no domingo e só terminavam no fim da manhã de segunda feira. A escola Império Serrano ao ser punida, ameaçou não desfilar no ano seguinte. Apesar do pedido das outras escolas, a organização não retornou os pontos retirados do Império.

A Estação Primeira de Mangueira, neste ano desfilou sub judice devido à questão da cronometragem.

Faleceu na Avenida – “Em 1970 No desfile das campeãs, a mais famosa baiana da Mangueira Nair Pequena, morreu em plena avenida, quando a escola cantava o samba de enredo Um Cântico a Natureza”.

Este foi também, o último carnaval em que a Portela venceu sozinha um desfile.

A Portela foi à primeira escola a usar uma comissão de frente uniformizada, destaques e alegorias;

Durante a década de 30, a Ala das Baianas era formada apenas por homens.

Dagmar, esposa de Nozinho, irmão de Natal da Portela, foi à primeira mulher a tocar surdo numa bateria de Escola de Samba.

Sabino Barroso, um dos arquitetos que fez o projeto da quadra da Mangueira é um exímio pandeirista, tocou durante 6 anos na bateria. Segundo Sabino o mestre Waldomiro gostava do pandeiro na bateria havia poucos pandeiristas, pois dava um tom leve ao conjunto. Mas, uma coisa é o pandeirista que dá exibição, outra é o que sai na bateria.

A Império Serrano na década de 50 recebia em sua sede e terreiro de ensaios no final da Rua Balaiada, um dos pontos mais alto do morro da Serrinha, (para se chegar à sede subia por uma estreita escada, cavada no barro), turistas e personalidades (fato inédito) oferecendo a famosa Ceia do Samba. Entre os visitantes ilustres que foram à Serrinha, citamos o Prefeito da cidade, a cantora Marlene, o locutor Manuel Costa, entre outros. Um forte temporal que caiu na cidade em 1958 fez ruir a velha sede acabando com um dos mais tradicionais costumes do samba.

As competições ganharam um papel importante no Carnaval do Rio e na história do samba no início do século XIX. Em 1929 a Deixa Falar desfilou na Praça Onze. No ano seguinte cinco escolas seguiram o mesmo caminho, mas a Deixa Falar acabou vencendo os dois anos. Com o passar do tempo, o número de competidores no desfile aumentou para cerca de 19. O Globo, que é o maior jornal do Brasil, patrocinou os desfiles de 1932 e 1933 e criou uma lista de quesitos para julgar os desfiles no Carnaval.

1970 – As Escolas de samba crescem tanto, que é criado o Conselho Superior das Escolas de Samba, que se reunia no Museu da Imagem e do Som.

Desfile das Escolas de Samba

O carnaval de 1970 teve o seguinte resultado: Grupo 1 Candelária – 08/02.

Portela com enredo “Lendas e mistérios da Amazônia” com 88,0 pontos Campeã, Acadêmicos do Salgueiro com enredo “Praça Onze, Carioca da Gema” com 83,0 pontos Vice-Campeã, Estação Primeira de Mangueira com enredo “Um Cântico à Natureza” com 79,0 pontos em Terceiro, Mocidade Independente de Padre Miguel com enredo “O meu pé de Laranja Lima” com 78,0 pontos, Unidos de Vila Isabel com enredo “Glórias Gaúchas” com 77,0 pontos, Imperatriz Leolpodinense com enredo “Oropa, França e Bahia” com 74,0 pontos, Unidos de São Carlos com enredo “Terra de Caruaru” com 72,0 pontos, Império Serrano com enredo “Arte em tom Maior“ com 65,0 pontos, Unidos do Jacarezinho com enredo “O fabuloso mundo do Circo” com 50,0 pontos, Acadêmicos de Santa Cruz com enredo “Bravura, Amor e Beleza da Mulher Brasileira” com 34,0 pontos.

Foram rebaixadas para o Grupo 2 as escolas: Unidos do Jacarezinho e Acadêmico de Santa Cruz..

Grupo: 2 Avenida Presidente Antônio Carlos – 09/02

Império da Tijuca com enredo “Segredos e Encantos da Bahia” com 83,0 pontos Campeã, Unidos de Padre Miguel com enredo Homenagem ao poema “Primaveras” com 81,0 pontos Vice-Campeã, Tupy de Brás de Pina com enredo “Praça XI Berço do Samba” com 77,0 pontos em Terceiro, Lins Imperial com enredo “Memórias da Rua do Ouvidor” 73,0 pontos, União de Jacarepaguá com enredo “Salões e Damas Imperiais” com 71,0 pontos, Beija-Flor de Nilópolis com enredo “Rio Quatro Séculos de Glórias” com 68,0 pontos, Paraíso do Tuiuti com enredo “Alencar, Patriarca da Literatura Brasileira” com 68,0 pontos, Em Cima da Hora com o enredo “O Mundo Maravilhoso de Debret” com 65,0 pontos, São Clemente com enredo “Histórias Fantásticas” com 64,0 pontos, Unidos de Lucas com enredo “Arte Barroca” com 58,0 pontos, Unidos do Cabuçu com enredo “As Musas de Chico Buarque de Holanda” com 57,0 pontos, Unidos da Tijuca com enredo “Festas da Bahia” com 57,0 pontos, Aprendizes da Gávea com enredo “Evolução dos Transportes na Terra Carioca” com 55,0 pontos, União do Centenário com enredo “Brasil, berço de Riquezas” com 53,0 pontos, Independentes do Leblon (enredo não divulgado), União de Vaz Lobo com enredo “Iracema, a Virgem Tupã”

Subiram para o Grupo 1 as Escolas: Império da Tijuca e Unidos de Padre Miguel

Foram rebaixadas para o Grupo 3 na Praça XI as Escolas:  Aprendizes da Gávea, União do Centenário.

As Escolas Independentes do Leblon e União de Vaz Lobo, não se apresentaram para o desfile e foram desclassificadas e consequentemente rebaixadas.

Comentário: 

Para seu comentário ao final do Post utilize o Campo Deixe uma Resposta

Link para o Yotube:

https://www.youtube.com/results?search_query=mundo+do+carnaval

Referencias:

wikipédia,canaldoensino.com.br/blog,riocarnaval.org,apoteose.com,www1.folha.uol.com.br, cartilhas das escolas, livro escolas de samba do rio de janeiro, g1globo.com, portelaweb, jequitibadosamba.

 

 

 

 

Comments (2)

  1. Muito legal sou Portela mais nasci em 1977 e ainda nõa vi ela ser campeã sozinha. Parabéns pela linda hist´toria.