ÚLTIMAS NOTÍCIAS

1972 – A Despedida de Nossa Guerreira

1972 – Este ano não foi como todos os outros que nunca mais seriam iguais aos maravilhosos anos que passamos juntos, perdemos aquela que possuía um grandioso senso de bondade e alegria. Sua dedicação e sua perseverança que mesmo contra a vontade de meu pai, permitiu que ela realizasse um de seus sonhos, a construção de seu lar, o local onde pudesse ver e ter a certeza que toda a sua família estive seguros. Em Junho do ano de 1960 nos mudamos definitivamente para esta realização, no bairro Jardim América, ali estava o lar idealizado e construído por aquela baiana de um lindo olhar e um belo sorriso. Esta localidade tinha algumas curiosidades que não me lembro de ter visto em nenhuma outra, erámos a quinta residência de todo o bairro, pois lá já se encontravam as famílias de Sr. José (o vidraceiro), Sr. Armelindo e Dona Mariazinha nossos vizinhos mais próximos, pois ficavam na mesma Rua 15 e Dona Otília que ficava um pouco mais distante na Rua 10. Bairro já era calçado e tinha toda a rede de saneamento básico. O Tempo foi passando e outras residências foram sendo erguidas, o transporte publico já se fazia acessível, em 1961 foi criada a linha 47 da empresa Popular Auto Ônibus, em 1962 ela passaria a ter um novo número 341, atual linha 342 fazendo o percurso Jardim América Praça Tiradentes, depois veio à linha 906 da empresa (VALSA) Viação Amigos Leolpodinense S/A que fazia o percurso Jardim América Bonsucesso. Não teríamos mais as festas de Cosme e Damião, porque o número 302 da Rua 15 perdeu a sua mais nobre moradora Djanira, quanto ao meu pai Antônio e nós seus filhos, perdemos a grande esposa, a grande amiga e uma excelente mãe. A família da compra de ingressos perdeu a sua grande figura, as arquibancadas perderam sua ilustre participante e os pit stop da Mangueira nunca mais seriam os mesmos, ela se foi. Todos estavam tristes pela partida da esposa, da mãe, da tia Djanira e a Dona Djanira, mas o céu ficou feliz, pois teria para sempre a presença de nossa sempre amada e idolatrada Djanira.

O Império Serrano perde uma grande torcedora, e para aplacar nossos sentimentos vence o desfile deste ano, prestando assim a derradeira homenagem a Dona Djanira.

 

Aconteceu no Carnaval

No carnaval de 1972, a Império Serrano com o enredo “Alô, Alô, Tai Carmem Miranda” chegou com suas alegorias praticamente nuas na concentração, deixando os componentes da escola tristes e preocupados. De repente Fernando Pinto, o carnavalesco, foi montando folhagens, bichos e coqueiros que estavam embrulhados em plásticos, transformando os esqueletos das alegorias em uma deslumbrante floresta. Era o gênio Fernando Pinto que começava despontar. A Escola de Samba Império Serrano foi Campeã com um carnaval que ninguém se esquece até hoje.

O gigantismo das escolas preocupava os sambistas. Elas já contavam com cerca de 2.500 figurantes, ficava cada vez mais difícil que todos cantassem o samba sincronizadamente. “Atravessar” o samba tornou-se um problema frequente. A Portela deu aos componentes radinhos de pilha para que ouvissem a transmissão das rádios e não atravessassem. No mesmo ano, o Salgueiro causou polêmica ao homenagear a sua madrinha, a Mangueira. O Império Serrano venceu o desfile, no que foi o seu último grande momento antes de entrar em crise.

 A Associação das Escolas de Samba entrou com ação na Justiça, para que as TVs pagassem pelo direito de transmissão. A decisão não saiu até o carnaval.

1972 – Império Serrano com o enredo ”Alo, Alô, Tai: Carmem Miranda”! Samba que deu à escola da Serrinha seu oitavo título, mas foi responsável direto pelo afastamento de Silas de Oliveira da agremiação. Derrotado na disputa interna por acachapantes 6×0, o “viga mestre” viria a falecer meses depois, vítima de um infarto fulminante, quando se apresentava numa roda de samba em Botafogo.

A Unidos de Bangu não foi julgada, porque o coordenador de desfile permitiu que os jurados deixassem suas cabines antes da apresentação da escola. A Unidos de Bangu, por ter chegado atrasada deveria ser a última a desfilar.

Desfile das Escolas de Samba

O carnaval de 1972 teve o seguinte resultado: Grupo 1 Candelária – 13/02.

Império Serrano com enredo “Alô, alô tai Carmem Miranda” com 68,0 pontos Campeã, Estação Primeira de Mangueira com enredo “Carnaval dos Carnavais” com 65,0 pontos Vice-Campeã, Portela com enredo “Ilu Ayê a Terra da Vida com 63,0 pontos em Terceiro, Imperatriz Leolpodinense com enredo “Martim Cererê” com 57,0 pontos, Acadêmicos do Salgueiro com enredo “Nossa madrinha Mangueira Querida” com 56,0 pontos, Unidos de Vila Isabel com enredo “Onde o Brasil Aprendeu a Liberdade” com 52,0 pontos Mocidade Independente de Padre Miguel com enredo” Rainha Mestiça em Tempo de Lundu” com 49,0 pontos, Em Cima da Hora com enredo “Bahia Berço do Brasil” com 47,0 pontos, Unidos de São Carlos com enredo “O Rio Grande do Sul na Festa do Preto Forro” com 46,0 pontos, Império da Tijuca com enredo “O Samba do Morro à Sociedade” com 41,0 pontos, Unidos de Lucas com enredo “Brasil das 200 Milhas” com 41,0 pontos, Unidos de Padre Miguel com enredo “Madureira, seu Samba, sua História” com 39,0 pontos.

Foram rebaixadas para o Grupo 2 as escolas: Unidos de São Carlos, Império da Tijuca, Unidos de Lucas, Unidos de Padre Miguel.

Grupo: 2 Avenida Presidente Antônio Carlos – 13/02

Tupy de Brás de Pina com enredo “Chiquinha Gonzaga, alma cantante do Brasil” com 66,0 pontos Campeã, Unidos do jacarezinho com enredo “Banzo Ayê” com 63,0 pontos Vice-Campeã, Paraíso do Tuiuti com enredo “Sempre Brasil (Brasil de ponta a ponta)” com 61,0 pontos, Lins Imperial com enredo “Salve, salve Independência” com 61,0 pontos, São Clemente com enredo “Dança de um Povo Livre” com 60,0 pontos, Beija-Flor de Nilópolis com enredo “Bahia dos meus Amores” com 59,0 pontos, União de Jacarepaguá com enredo “A Festa da Independência” com 59,0 pontos, União da Ilha do Governador com enredo “A Festa da Cavalhada” com 59,0 pontos, Independentes de Cordovil com enredo “Datas, personagens e Fatos Históricos” com 58,0 pontos, Unidos da Tijuca com enredo “Ganga Zumba” com 58 pontos, Caprichosos de Pilares com enredo “Brasil a flor que Desabrocha” com 55,0 pontos, Acadêmicos de Santa Cruz com enredo “Brasil Folclórico” com 53,0 pontos, Unidos de Manguinhos com enredo “Zumbi dos Palmares” com 53,0 pontos, Grande Rio com enredo “A Outra força do Brasil” com 51,0 pontos, Unidos do Cabuçu com enredo “Laços de Amizade” com 50,0 pontos, Unidos da Vila Santa Tereza com 48,0 pontos, Unidos de Bangu com enredo Um dos Motivos da Independência do Brasil”.

Subiram para o Grupo 1 as Escolas: Tupy de Brás de Pina e Unidos do Jacarezinho

Foram rebaixadas para o Grupo 3 na Praça XI as Escolas: Acadêmico de Santa Cruz, Unidos de Manguinhos, Grande Rio, Unidos do Cabuçu, Unidos de Santa Tereza.

A Escola Unidos de Bangu foi desclassifica e rebaixada.

Comentário:

Para seu comentário ao final do Post utilize o Campo Deixe uma Resposta

Link para o Yotube:

https://www.youtube.com/results?search_query=mundo+do+carnaval

Referencias:

wikipédia, canaldoensino, www1.folha.uol.com.br, sambario, docpro.

Comments (8)

  1. o banho de mar a fantasia tenho um lembrança pois era realizado na praia de botafogo nos moravam na penha circular não melembro o ano

  2. Desde antigamente o carnaval já apresentava problemas com os julgadores, se o regulamento permite que a agremiação que se atrasou desfilassem por último logo a mesma tinha que ser julgada igual as coirmãs, com isso a Unidos de Bangu foi penalizada ao rebaixamento.

  3. Este blog nos trás informações fantásticas. Parabéns!