ÚLTIMAS NOTÍCIAS

1994 – Alegria Alegria!

1994 – Continuamos com a nossa família comemorando a chegada de mais um membro, meu sobrinho Cristiano, filho do meu irmão Marco e minha cunhada Cristina e assim nosso bloco continua crescendo e a família continua na Avenida, eu na Estácio e Salgueiro, o meu irmão Edson como Diretor Geral de Harmonia na Unidos da Ponte, minha irmã Ivone na ala das baianas na Unidos da Ponte, minha querida sobrinha Fabiane também na Unidos da Ponte e minha cunhada Cristina na Grande Rio. Paro para observar a minha família e vejo como somos completamente envolvidos por esta festa, costumávamos comentar com os nossos vizinhos que se alguém quisesse roubar a nossa casa, bastava esperar o carnaval para encontra-la completamente vazia. Tivemos mais um ano de bons enredos e apresentações espetaculares, a Imperatriz Leopoldinense com a sua belíssima comissão de frente em uma apresentação teatral perfeita com a utilização de grandes leques, superando a todas as demonstrações anteriormente apresentadas. A carnavalesca Rosa Magalhães apresentou um enredo “Catarina de Médicis na Corte dos Tupinambôs e Tabajeres” muito rico e bastante interessante. Ainda falando da Imperatriz durante a fase de ensaios a bateria apresentou vagas para alguns ritmistas exceto para marcações, em um destes dias nosso grupo Eu, Ronaldo, Valdo, Marcão e Jorge que já era da marcação há algum tempo fomos para o ensaio. Batemos um bom papo com alguns amigos, eu mesmo sabendo que não havia vaga para o meu naipe marcação também participei, ao final seria realizada a entrega de senha para tirar as medidas da fantasia. Ai uma nova história começa, o Jorge e outros ritmistas alegaram que eu deveria fazer parte da bateria e foram falar com o mestre Beto, como não havia mais vaga a resposta do mestre foi negativa, porém o grupo de ritmistas insistiu junto ao diretor tanto que o Jorge que era marcador se propôs a aceitar uma troca cedendo assim sua vaga para mim. Bem esta situação entrou pela madruga, por volta de 01:00 hora da manhã conseguimos chegar a um acordo satisfatório para todos, eu consegui a vaga e o Jorge não precisou trocar de naipe e todo o grupo saiu na Imperatriz que acabou Campeã.

A Imperatriz Leopoldinense

1994 – De Rosa Magalhães tinha o mesmo enredo do Império Serrano mas foi infinitamente superior em tudo. A começar pela extraordinária atuação da comissão de frente, cujos componentes estavam maravilhosamente trajados e ainda faziam uma evolução abrindo seus leques em verde e dourado, o que dava um efeito incrível. Além disso, o desenvolvimento do enredo sobre os indígenas brasileiros que foram convidados a se confraternizarem com os franceses, por intermédio do rei Henrique II e de Catarina de Médicis, foi impecável, já que a divisão das alas fazia a apresentação ter início, meio e fim. O requinte de alegorias e fantasias, que mesclavam com perfeição diversas cores com as da escola, no caso o verde, o branco e o dourado. Desde os setores dedicados à nobreza da França ou aos indígenas, tudo tinha extrema beleza. Com belas alegorias que chamaram muito a atenção como a do “Carrossel francês com onças selvagens”, que tinha excelente acabamento, o belo samba que foi conduzido brilhantemente por Preto Jóia, que estava no melhor de sua forma. A sustentação do banjo, como já vinha virando tradição na escola, e a atuação da bateria do Mestre Beto coroaram a ótima exibição da Rainha de Ramos.

Acadêmicos do Salgueiro

1994 – Começou seu desfile ao som de uma incrível e demorada queima de fogos, mas como o tempo no Rio ainda estava muito fechado apesar da chuva ter parado, a fumaça não se dissipou e a pista ficou encoberta por uma espessa nuvem. O samba era dos mesmos compositores do fenômeno “Explode Coração” de 1993 e o público cantou com a escola desde o começo do desfile, demonstrando que o Salgueiro era mesmo um dos favoritos a mais um campeonato. O enredo sobre o Rio de Janeiro era de facílima leitura, mas, como já havia acontecido no ano anterior, o conjunto alegórico estava inferior ao de outras escolas.  As fantasias estavam melhores e passavam a mensagem de cada ala com bastante coerência, até porque o carnavalesco Roberto Szaniecki acertou na escola de cores, preservando o vermelho e branco do Salgueiro sem ser repetitivo. A bateria de Mestre Louro brilhou, apesar do incrível contingente de seis mil pessoas, a evolução não apresentou graves problemas, o que credenciava a vermelho e branco, de fato, brigar na parte de cima já que fez o desfile mais vibrante do ano.

Aconteceu no Carnaval

20/01/1994 Inauguração do Terreirão do Samba na Praça Onze – Rio de Janeiro.

1994 – “O resultado do Grupo de Acesso despertou muita polêmica. Villa Rica e São Clemente subiram com nada menos que 20 pontos de diferença para a terceira colocada. Em especial a escola de Botafogo, que, segundo os analistas, fez um desfile que a credenciaria às últimas posições. O imbróglio resultaria na criação da Liesga (Liga Independente das Escolas do Grupo de Acesso), que teria vida curta.”

1994 – Quando todos esperavam que o título do ano fosse ser decidido entre Salgueiro, Portela, Beija-flor ou Mangueira, que empolgaram a platéia, venceu a Imperatriz, com um desfile considerado técnico pelos comentaristas mas que não empolgou o público. Depois de abertos os envelopes dos jurados a Imperatriz ficou conhecida como “escola de resultados”. Ficou provado que o esquema empresarial das escolas podia sustentar as escolas.

1994 – Rico Medeiro é contratado como principal cantor da Unidos da Viradouro.

1994 – Foi o último ano de Dedé da Portela como cantor principal da Portela.

1994 – A TV Manchete voltou a transmitir os desfiles do Rio, com sua tradicional equipe.

1994 – Fátima Bernardes estréia na condução das transmissões ao lado do experiente Fernando Vannucci

1994 – 0 13° lugar foi o pior resultado da Estácio de Sá desde que a escola passou a ter esse nome (antes era Unidos de São Carlos).

1994 – O terceiro lugar da Unidos de Viradouro, foi a melhor posição de sua história.

1994 – Foi a última vez que Quinzinho participou do Carnaval como cantor principal de uma agremiação.

1994 – A genitália desnuda de Lilian Ramos provoca grandes comentários no meio politico, cogitando-se até o impeachment do Presidente Itamar Franco.

1994 – Foi a primeira vez que a Tradição ficaria à frente da Portela.

Morreram:

15/04/1993 Mauro Moreno Reyes o Beto sem braço, compositor do Império Serrano. Entre suas composições a que mais de destaca é Bum, Bum, Baticumbum, Prurugundum, aos 52 anos.

09/06/1993 Morre Osvaldo Macedo, ex – Presidente da Imperatriz Leopoldinense.

18/06/1993 Aníbal Uzeda, primeiro Presidente da RIOTUR S.A – Empresa de Turismo do Município do Rio de Janeiro.

21/06/1993 Calixto dos Anjos Filho, o Calixto do Prato do Império Serrano, aos 72 anos.

02/07/1993 Waldemiro José da Rocha o Babaú da Mangueira, compositor e fundador de três Escolas de Samba: Paraiso do Tuiutí, Unidos do Cabuçu e Unidos do Outeiro, aos 79 anos.

30/08/1993 Isaurinha Garcia, consagrada cantora da MPB, aos 70 anos.

27/09/1993 Irênio Delgado, jornalista, cronista carnavalesco, ex-Diretor do Império Serrano.

15/10/1993 Jair Amorim, autor de grandes sucessos como o “Mundo melhor do Pixinguinha”, “Alguém me disse”, entre outras, aos 78 anos.

24/11/1993 Abílio Martins, consagrado puxador de samba enredo e compositor.

27/11/1993 Guerra Peixe, maestro um dos arranjadores mais importantes da MPB, aos 79 anos.

29/11/1993 Adalberto Mendes Brito, o Formiga, Presidente da Unidos da Zona Sul.

21/12/1993 Teresa Aragão, estudiosa da cultura popular e uma das maiores especialistas em Escola de Samba. Foi muito ligada ao Salgueiro para a qual fez Eneida, Amor e Fantasia.

26/12/1993 Morre Jorge Luiz Vilela, carnavalesco da Tradição, São Clemente e Caprichosos de Pilares.

30/12/1993 Oscar Bigode, ex-presidente de bateria da Portela.

Desfile das Escolas de Samba

O carnaval de 1994 teve o seguinte resultado: Grupo Especial (LIESA) Passarela do Samba – 13 e 14/02

Imperatriz Leopoldinense com enredo “Catarina de Médicis na Corte dos Tupinambôs e Tabajeres” com 298,0 pontos Campeã, Acadêmicos do Salgueiro com enredo “Rio de Lá pra Cá” com 295,0 pontos Vice-Campeã, Unidos do Viradouro com enredo “Tereza de Benguela, uma Rainha Negra no Pantanal” com 294,5 pontos em Terceiro, União da Ilha do Governador com enredo “Abracadabra, o Despertar dos Mágicos” com 292,5 pontos, Beija-Flor de Nilópolis com enredo “Margareth Mee, a Dama das Bromélias” com 291,5 pontos, Tradição com enredo “Passarinho, Passarola Quero ver Voar” com 290,5 pontos, Portela com enredo “Quando o Samba era Samba” com 290,5 pontos, Mocidade Independente de Padre Miguel com enredo “Avenida Brasil, Tudo Passa Quem Não Viu?” com 290,0 pontos, Unidos de Vila Isabel com enredo “Muito Prazer! Isabel de Bragança e Drumond Rosa da Silva, mas Pode me Chamar de Vila” com 289,0 pontos, Caprichosos de Pilares com enredo “Estou Amando Loucamente uma Coroa de Quase 90 Anos” com 287,5 pontos, Estação Primeira de Mangueira com enredo “Atrás da Verde e Rosa só Não Vai Quem já Morreu” com 287,0 pontos, Acadêmicos do Grande Rio com enredo “Os Santos que a África não Viu?” com 274,0 pontos, Estácio de Sá com enredo “S.A.A.R.A. A Estácio chegou no iê iê iê de alalaô” com 274,0 pontos, Unidos da Tijuca “SóRio…É Verão” com 270,5 pontos, Império Serrano com enredo “Uma Festa Brasileira” com 258,5 pontos.

Foram rebaixadas para o Grupo A as escolas: Não houve escola rebaixada.

Grupo: A (AESCRJ) Passarela do Samba – 11 e 12/02

Unidos da Vila Rica com enredo “Copacabana, Meu Amor” com 345,0 pontos Campeã, São Clemente com enredo “Uma Andorinha só não Faz Verão ou Aonde vai a Corda vai a Caçamba” com 344,0 pontos Vice-Campeã, Acadêmicos da Rocinha com enredo “Humor pra Dar e Vender” 324,0 pontos, Império da Tijuca com enredo “Nelson Rodrigues, um Beijo na Sapucaí” com 319,0 pontos, Unidos do Cabuçu com enredo “Brajiru, meu Japão Brasileiro” com 307,0 pontos, Leão de Nova Iguaçu com enredo “Da França Tropical a Orfeu do Carnaval” com 307,0 pontos, Acadêmicos de Santa Cruz com enredo “A Rota dos Mercadores” com 305,0 pontos, Unidos do Jacarezinho com enredo “E Agora eu, ao Vivo e a Cores” com 304,0 pontos, Arranco do Engenho de Dentro com enredo “Sapucaia Oroca” com 300,0 pontos, Acadêmicos do Engenho da Rainha com enredo “Entre Festas e Fitas” 297,0 pontos, Canários das Laranjeiras com enredo “Quem é bom já Nasce Feito” com 294,0 pontos, Unidos de Lucas com enredo “Conservatória, Cidade Serenata Sambando na Sapucaí” com 294,0 pontos, Lins Imperial com enredo “Magos da Oitava Maravilha” com 286,0 pontos, Independentes de Cordovil com enredo Garotinho vem… Sacudindo a Sapucaí” com 280,0 pontos, Acadêmicos do Cubango com enredo “Ao Mestre com Carinho (Homenagem a Fernando Pamplona)” com 277,0 pontos, Arrastão de Cascadura com enredo “Assim Caminha a Humanidade” com 255,0 pontos.

Sobem para o Grupo Especial as Escolas: Unidos da Vila Rica, São Clemente.

Foram rebaixadas para o Grupo 3 (AESCRJ):  Não houve escola rebaixada.

Comentário: 

Para seu comentário ao final do Post utilize o Campo Deixe uma Resposta

Link para o Yotube:

https://www.youtube.com/results?search_query=mundo+do+carnaval

Referencias: wikipédia, liesanet, ourodetolo, apoteosecom,