ÚLTIMAS NOTÍCIAS

2000 – 500 Anos A Nossa Festa!

2000 – Desta vez estamos comemorando a chegado do meu sobrinho Erick que alias nasceu no mês do carnaval, ele é filho do meu irmão Ivan e minha cunhada Sandra.

Chegamos ao Carnaval, graça a Deus não ocorreu nenhuma das muitas profecias catastrófica prevista para este ano no mundo. Em nosso mundo do samba, o meu irmão Edson continua na Harmonia da Grande Rio, eu na Tradição, Salgueiro e Unidos do Viradouro. Neste carnaval o tema 500 anos do Brasil foi padronizado, desde o quarto centenário do Rio, as escolas de samba do Grupo Especial não faziam um carnaval temático.

Tivemos uma boa safra de sambas enredos. A vitoriosa foi a Imperatriz Leopoldinense, com o enredo “Quem descobriu o Brasil, foi Seu Cabral, no dia 22 de abril, 2 meses depois do carnaval”, da carnavalesca Rosa Magalhães. A verde e branco relembrou uma antiga marchinha para brincar com o fato de Pedro Álvares Cabral ter aportado por aqui pouco tempo depois do carnaval. O Descobrimento também foi o tema escolhido pela Unidos da Tijuca. A Mangueira, por sua vez, contou a história de Dom Obá, um líder negro do período pré-abolicionista. O Salgueiro falou dos reis e a Viradouro optou por um tema abstrato falando de paraísos e infernos. A Ilha lembrou, de forma crítica, a ditadura militar, enquanto a Portela voltou aos anos 30 para falar do governo Vargas. A Tradição lembrou a escravidão e a Vila Isabel, os índios. A Mocidade falou do futuro, enquanto a Porto da Pedra relembrou as maravilhas do Brasil. As apresentações das escolas foram muito boas tivemos um carnaval com bastante tranquilidade, à população carnavalesca saiu de casa com o espírito de diversão o que realmente acabou acontecendo.  

Imperatriz Leopoldinense

2000 – Recuperada da contestadíssima apresentação do ano anterior com uma exibição que mais uma vez a credenciava a brigar pelo título desta vez, com justiça. Rosa Magalhães conseguiu sair da mesmice. Isso porque o enredo, em vez de se ater pura e simplesmente à chegada dos navegadores ao Brasil, contava toda a expedição que saíra de Portugal. O título “Quem descobriu o Brasil foi seu Cabral, no dia 22 de Abril, dois meses depois do carnaval” homenageava o trecho de uma marchinha de Lamartine Babo.

A comissão de frente representava “os perigos do mundo desconhecido” e deu show novamente, com seus integrantes carregando belos adereços de mão que, em determinada posição dos componentes, formavam uma caravela, complementando visualmente o imponente e belíssimo abre-alas. Este significava as conquistas de D.Manuel, o Venturoso. Logo após o abre-alas, uma linda ala de baianas deu o tom do conjunto de fantasias que seria apresentado: figurinos de extremo bom gosto e acabamento impecável.  O segundo carro, chamado “As Riquezas do Samorim da Índia”, tinha iluminação excelente e simbolizava as especiarias que os portugueses procuravam. E o terceiro “Sedas e Cores da Índia” era sobre os tecidos daquela região, e também foi brilhantemente concebido. Ao contrário de outros anos, em que a Imperatriz, apesar de bela, havia passado sem vibração, este ano os componentes cantaram o samba o tempo todo. Aliás, samba que foi bem conduzido por Paulinho Mocidade e com uma bateria desta vez sem vacilos.

Beija-Flor de Nilópolis

2000 – Penúltima a desfilar e também se consolidou como uma das melhores escolas do ano, mas sem repetir a arrebatadora e brilhante exibição de 1999. Na verdade, a grande polêmica em relação ao desfile da Azul e Branco se deu pela forma densa como o enredo foi desenvolvido pela comissão de carnaval. A escola começou o desfile toda branca, com uma comissão de frente representando anjos, sucedida surpreendentemente pela belíssima ala das baianas, que simbolizava a “sabedoria dos seres de luz”. O espetacular primeiro carro significava “o conselho celestial com a estrela-guia da navegação”, que teria apontado o Brasil como nova terra santa. Havia vários globos metálicos e iluminação em neon azul que davam imponência à alegoria.

Aliás, esta alegoria rendeu bastante polêmica, pois, a exemplo do que havia acontecido com a Grande Rio, prometia ter crianças em uma altura considerável. Mas a escola ignorou as exigências do juiz de menores Siro Darlan e acabou autuada, já que as jovens desfilaram. Nos quesitos plásticos, inegavelmente a Beija-Flor teve mais uma apresentação de grande qualidade. Mas a escola poderia perder pontos preciosos porque um pedaço bastante considerável de uma escultura quebrou e a alegoria sobre a raça negra passou mutilada na avenida. As fantasias da Beija-Flor, ao contrário, passaram intactas pela pista e eram primorosas. O samba-enredo funcionou para a harmonia da escola e foi maravilhosamente interpretado por Neguinho, além de bem sustentado pela bateria. A escola deixou a avenida com a sensação de missão cumprida, mas, apesar de ter passado bem, o público reagiu de forma mais fria do que em 1999, talvez pelo enredo não ter sido apresentado de forma tão cristalina.

Aconteceu no Carnaval

2000 – A Liesa e todas as escolas do Grupo Especial decidem que os enredos teriam algum período da história brasileira, em homenagem aos 500 anos do Brasil. A Liesa apresentou 21 opções temáticas para as agremiações. Desde o quarto centenário do Rio, as escolas de samba do Grupo Especial não faziam um carnaval temático.

2000 – Cada escola recebeu da Prefeitura do Rio de Janeiro uma ajuda extra para confecção dos desfiles de R$ 500 mil.

2000 – Liesa decide voltar com quesito Conjunto, fora de julgamento desde 1997. O número de jurados continuaria sendo três por quesito (totalizando 30 pontos), sem descarte de notas.

2000 – Juizado de Menores não autorizou a entrada do carro abre-alas no desfile da Grande Rio com crianças em queijos acima de três metros de altura, e a escola teve de mexer na alegoria às pressas. Ainda na concentração, um iluminador foi atingido pela estrutura de uma alegoria e teve traumatismo craniano.

2000 – Assédio dos fotógrafos e cinegrafistas aos diversos artistas que desfilaram na Grande Rio atrapalharam a evolução naquele ano, a maior estrela era o ator Thiago Lacerda, protagonista da novela Terra Nostra, da TV Globo.

2000 – A Vila Isabel apresenta a maior, bizarrice desse desfile uma sereia em cima de uma árvore. Além disso, a fantasia do primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira só chegou quando eles já estavam no Setor 1. Para piorar, a última alegoria quebrou e teve de ser guinchada até a dispersão.

2000 – Fernando Vannucci foi contratado pela TV Bandeirantes depois da demissão da Globo e esperava-se que a emissora paulista novamente transmitisse o desfile como em 1999, mas com o apresentador como âncora. Mas apenas a TV Globo exibiu os desfiles oficiais, cabendo à Band a transmissão do Desfile das Campeãs.

2000 – TV Globo transmite com exclusividade os desfiles oficiais do Grupo Especial do Rio. Band, CNT, SBT e a própria Globo vêm se revezando na transmissão do Acesso e do Desfile das Campeãs desde então.

2000 – A Globo reformulou sua equipe de transmissão, com a narração sendo dividida entre Pedro Bial e Glória Maria. Bial, curiosamente, jamais voltaria a exercer essa função. Os comentários foram de Ricardo Cravo Albin e Haroldo Costa.

2000 – No desfile da Viradouro, o cantor Salgadinho apareceu ao lado de Dominguinhos cantando o samba e Bial informou que o pagodeiro era do grupo Molejo. Mas ele era do Katinguelê. E seguiu o desfile, mas, escorregão à parte, o jornalista teve uma boa condução no geral e soltou uma precisa frase sobre Jamelão: “É o mais adorável mal-humorado do samba”.

2000 – Foi o último desfile de Joãozinho Trinta como carnavalesco da Unidos do Viradouro.

2000 – A Vila Isabel foi rebaixada para o segundo grupo pela segunda vez em sua história, a outra foi em 1978. Mas, se o primeiro descenso teve reação rápida, já que a Vila foi campeã do Acesso em 1979, desta vez o retorno só seria coroado com o título da série A em 2004. Em 1981 a escola também foi rebaixada com o Império Serrano, mas se beneficiou de uma “virada de mesa”.

Morreram:

Em 22/02/2000 Nega Pelé, passista da Portela.

O carnaval de 2000 teve o seguinte resultado: Grupo Especial (LIESA) Passarela do Samba – 05 e 06/03

Imperatriz Leopoldinense com enredo “Quem Descobriu o Brasil, foi seu Cabral, no dia 22 de Abril, 2 meses depois do Carnaval” com 299,5 pontos Campeã, Beija-Flor de Nilópolis com enredo “Brasil, um Coração que pulsa forte. Terra de todos ou de Ninguém” com 299,0 pontos Vice-Campeã, Unidos do Viradouro com enredo “Brasil, Visões de Paraíso e Infernos” com 298,0 pontos em Terceiro, Mocidade Independente de Padre Miguel com enredo “Verde, Amarelo, Azul Anil, colorem o Brasil no Ano 2000” com 297,5 pontos, Unidos da Tijuca com enredo “Terra dos Papagaios…Navegar foi Preciso” com 293,0 pontos, Acadêmicos do Salgueiro com enredo “Sou Rei Sou Salgueiro, meu reinado é Brasileiro” com 290,0 pontos, Estação Primeira de Mangueira com enredo “Dom Obá II, Rei dos Esfarrapados, Príncipe do Povo” com 289,0 pontos, União da Ilha do Governador com enredo “Pra não Dizer que não falei de Flores” com 286,5 pontos, Acadêmicos do Grande Rio com enredo “Carnaval á Vista – Não fomos Catequizados, Fizemos Carnaval” com 284,0 pontos, Portela com enredo “Trabalhadores do Brasil, A Época de Getúlio Vargas” com 276,0 pontos, Caprichosos de Pilares com enredo “Brasil, Teu Espírito é Santo” com 276,0 pontos, Tradição com enredo “Liberdade! Sou Negro, raça e Tradição” com 274,5 pontos, Unidos de Vila Isabel com enredo “Academia Indígena de Letras-Eu sou Índio, eu Também sou Imortal” com 272,0 pontos, Unidos do Porto da Pedra com enredo “Ordem, Progresso, Amor e Folia no Milênio da Fantasia” com 268,5 pontos.

Foram rebaixadas para o Grupo A as escolas: Unidos de Vila Isabel, Unidos do Porto da Pedra.

Grupo: A (AESCRJ) Passarela do Samba – 04/03

Império Serrano com enredo “Os Canhões dos Guararapes” com 200,0 pontos Campeã, Paraíso do Tuiutí com enredo “Um Monarca na Fuzarca” com 195,5 pontos Vice-Campeã, Em Cima da Hora com enredo “A Saga de um Herói Brasileiro” com 195,5 pontos, São Clemente com enredo “No Ano 2000, a São Clemente é Tupi com Sergipe na Sapucaí” com 194,0 pontos, Inocentes de Belford Roxo com enredo “Petrópolis – Roxo de Amor por Você” com 194,0 pontos, Acadêmicos de Santa Cruz com enredo “Brasil: Do Extrativismo á Reciclagem, 500 Anos de Riquezas” com 191,5 pontos, Império da Tijuca com enredo “O Ouro Vermelho de Paty do Alferes” com 191,5 pontos, Estácio de Sá com enredo “Envergo mas não Quebro” com 191,0 pontos, Acadêmicos da Rocinha com enredo “O Sonho da França Antárctica de Villegagnon” com 187,5 pontos, Unidos do Jacarezinho com enredo “Do Barão á Fundação, 100 Anos a Serviço da Nação” com 186,0 pontos, Acadêmicos do Cubango com enredo “Por uma Independência de Fato” com 173,5 pontos, Unidos do Cabuçu com enredo “Brasil 500…Ano 2000…Cabral faz a Festa no Brasil” com 155,5 pontos.

 Sobem para o Grupo Especial as Escolas: Império Serrano, Paraiso do Tuiutí

Foram rebaixadas para o Grupo 3 (AESCRJ): Acadêmicos da Rocinha, Unidos do Jacarezinho, Acadêmicos do Cubango, Unidos do Cabuçu.

Comentário: 

Para seu comentário ao final do Post utilize o Campo Deixe uma Resposta

Link para o Yotube:

https://www.youtube.com/results?search_query=mundo+do+carnaval

Referencias: wikipédia, apoteosecom, pedromigao, liesa, globocom,