ÚLTIMAS NOTÍCIAS

A Força de Um Belo Desfile!

2015 – Em minha família continuamos com as comemorações da chegada de mais um membro da segunda geração e desta vez é o Guilherme filho do meu sobrinho Douglas e Rayane.

Falando de Carnaval por problema pessoal não desfilei, meu irmão Edson continuava como Coordenador e Jurado do Município de Nova Iguaçu.

Beija-Flor

2015 – Disposta a superar o fraco desempenho do carnaval anterior, a Beija-Flor de Nilópolis mostrou a sua força e se qualificou como uma das favoritas ao título.

O bonito desfile com o enredo “Um Criô conta a História: Um olhar sobre a África e o Despontar da Guiné Equatorial. Caminhemos sobre a Trilha de Nossa Felicidade”, a comissão de frente se apresentou fantasiada de guerreiros e carregavam lanças e escudos com formato de máscaras que possuíam movimentos faciais. Estas máscaras e lanças quando unidas formavam uma árvore na pista.

A escola cumpriu a promessa de exaltar as belezas da região e o fez nos primeiros carros e alas, com o predomínio do verde da ceiba, árvore símbolo da África Ocidental.

Com alas e alegorias multicoloridas representaram os costumes do povo da Guiné Equatorial, e o período da escravidão, sempre com fantasias impecáveis. Por fim, a Beija-Flor celebrou a união entre os povos brasileiro e africano e as riquezas do país.

O samba-enredo não era tão popular, mas era muito bem construído, foi cantado a pleno pulmões pelos componentes.

Viradouro

2015 – A Unidos do Viradouro apresentou segundo os críticos especializado o melhor samba enredo no carnaval 2015, mas não foi feliz em seu retorno ao grupo especial, sob uma forte chuva a escola de Niterói foi bastante prejudica principalmente no abre-alas, que tinha animais selvagens africanos e mostrava os rituais do continente. Gradativamente a qualidade dos elementos foi caindo, sendo visíveis os danos causados pela chuva assim como plumas de algumas fantasias.

A apresentação da escola também foi prejudica com o sistema de som que apresentou falhas, sendo duas logo nos dez minutos iniciais do desfile. A última alegoria mostrou anjos negros, um com o braço danificado.

Estácio de Sá

2015 – Com enredo “De Braços Abertos, de Janeiro á Janeiro. Sorrio, Sou Rio, Sou Estácio de Sá!” dos carnavalescos Amauri Santos e Tarcísio Zanon. A escola iniciou seu desfile com uma grande caravela que trouxe o fundador da Cidade, Estácio de Sá.

A grande novidade foi a juba do leão, símbolo da escola, montada com 64 micos leões. E na roupa das baianas a lembrança de São Sebastião, padroeiro da cidade.

Carros alegóricos representaram monumentos como o Paço Imperial, na Praça XV, local da coroação dos reis. O enredo também lembrou momentos e movimentos históricos vividos pelos moradores do Rio, como a Ditadura Militar e a Bossa Nova.

A comissão de frente representou a importância dos bambas da Estácio de Sá para o desenvolvimento da Folia carioca. Malandros fizeram uma viagem do tempo do samba: presente, passado e futuro.

A bateria veio com a fantasia de deixa falar e levantou a avenida.

Aconteceu no Carnaval

2015 – Mestre Ciça após cinco anos a frente da bateria invocada da Acadêmico do Grande Rio, assume a direção na bateria da União da Ilha do Governador.

2015 – Segundo “O Globo”, a Beija-Flor teria recebido R$ 10 milhões do governo da Guiné Equatorial para preparar o desfile, fato negado pelo presidente Farid Abraão. Ao “Estado de S.Paulo”, o embaixador do país no Brasil, Benigno-Pedro Tang, também negou: “Foram financiadores culturais. O governo não tem nada a ver com isso. Somente pessoas do meio cultural. O que a imprensa divulgou é uma soma muito excessiva. Se quiserem, podemos verificar e fazer a estimativa em detalhes em vez de falar no ar”. Já o diretor artístico Fran-Sérgio decretou ao UOL: “Quem deu os R$ 10 milhões para o Carnaval foram empresas brasileiras que trabalham na construção civil de uma nova Guiné Equatorial”.

2015 – A Unidos da Tijuca pela terceira vez em quatro carnavais terminou à frente da escola que teve Paulo Barros como carnavalesco. Isso já havia acontecido em 2007 e 2008, quando Barros estava na Viradouro, enquanto em 2009 a Tijuca ficou atrás da Vila Isabel, que contratou o carnavalesco para dividir o desenvolvimento do enredo sobre o Theatro Municipal com Alex de Souza. Em 2016, a Tijuca seria vice-campeã, uma posição à frente da Portela de Paulo Barros.

2015 – O cantor Tinga se envolveu numa áspera discussão com Mestre Casagrande na arrancada da escola no Desfile das Campeãs. Tudo começou depois que Tinga reclamou do andamento imposto pelo rapaz do “pedal”, que não estava de acordo com o que ele desejava. O clima esquentou e Casagrande entrou na discussão. A turma do deixa disso teve de intervir antes que houvesse pancadaria… Curiosamente a própria bateria da Tijuca havia sido agraciada com o Estandarte de Ouro. Depois da confusão, Casagrande colocou panos quentes ao dizer que Tinga “era um sujeito equilibrado” e que haveria reunião sobre o caso. Ainda em 2015, o diretor de bateria recusou proposta da Mocidade e ficou no Borel.

2015 – A fase pré-carnavalesca foi marcada por polêmicas envolvendo o cantor Quinho. Ele simplesmente se lançou candidato à presidência do Salgueiro para enfrentar Regina Celi, que tentava a reeleição. Quinho teve a candidatura impugnada, Celi foi reeleita e, claro, o cantor ficou sem espaço na Vermelho e Branco. Quinho chegou a ter a contratação pela Estácio de Sá dada como certa, esteve no carro de som no ensaio técnico, mas acabou mesmo no Império da Tijuca. O próprio Quinho depois reconheceria que errou ao tentar se candidatar presidente do Salgueiro.

2015 – Com o contestado terceiro lugar em 2015, a Grande Rio completou sua décima participação no Desfile das Campeãs em 11 anos. Se levado em conta que em 2011 a Tricolor não foi julgada por causa do incêndio, a escola era até então a única a conquistar vaga no sábado em todos os desfiles em que concorreu no período. Apenas em 2016, a Grande Rio não conquistaria na pista uma vaga entre as campeãs.

2015 – Após ser demitido da Mangueira, o carnavalesco Cid Carvalho esbravejou nas redes sociais contra o presidente Chiquinho de Carvalho: “Se o Chiquinho da Mangueira e o Júnior Schall (diretor de Carnaval) desmentirem que nós tínhamos um acordo para continuarmos o trabalho para 2016, independente do resultado de 2015, eu é que sou o safado e sem caráter dessa história! Está lançado o desafio!”. Pela Verde e Rosa, Cid Carvalho assinou três desfiles e, com os problemas financeiros da escola, obteve um sétimo (2012), um oitavo (2013) e um décimo lugar (2015). O carnavalesco se transferiu para a Acadêmicos do Cubango, da Série A.

O carnaval de 2015 teve o seguinte resultado: Grupo Especial (LIESA) Passarela do Samba – 15 e 16/02

Beija-Flor de Nilópolis com enredo “Um Criô conta a História: Um olhar sobre a África e o Despontar da Guiné Equatorial. Caminhemos sobre a Trilha de Nossa Felicidade” com 269,9 pontos Campeã, Acadêmicos do Salgueiro com enredo “Fundo do Quintal, Sabores e Saberes na Sapucaí” com 269,5 pontos Vice-Campeã, (1) Acadêmicos do Grande Rio com enredo “A Grande Rio é do Baralho” com 269,0 pontos em Terceiro, (1) Unidos da Tijuca com enredo “Um Conto marcado no Tempo” com 269,0 pontos, (1) Portela com enredo “Imaginário, 450 Janeiros de Uma Cidade Surreal” com 269,0 pontos, Imperatriz Leopoldinense com enredo “Axé Nkenda! Um Ritual de Liberdade, e Que a Voz da Liberdade seja Sempre a Nossa Voz” com 268,9 pontos, Mocidade Independente de Padre Miguel com enredo “Se o Mundo Fosse Acabar, me Diz o Que Você faria se Só te Restasse um Dia” com 268,5 pontos, São Clemente com enredo “A incrível História do Homem que só Tinha Medo da Matinta Pereira, da Tocandira e da Onça pé de Boi!” com 268,4 pontos, União da Ilha do Governador com enredo “Beleza Pura?” com 267,2 pontos, Estação Primeira de Mangueira com enredo “Agora chegou a vez, vou Cantar: Mulher de Mangueira, Mulher Brasileira em Primeiro Lugar!” com 267,1 pontos, Unidos de Vila Isabel com enredo “O Maestro Brasileiro está na Terra de Noel, a Partitura é Azul e Branco, da nossa Vila Isabel” com 266,2 pontos, Unidos do Viradouro com enredo “Nas Veia do Brasil, é a Viradouro em um Dia de Graças!” com 263,7 pontos.

Foram rebaixadas para o Grupo de Acesso A (LIERJ) a Escolas: Unidos do Viradouro

(1) Critério de desempate quesito Evolução.

Grupo: de Acesso Série A (LIERJ) Passarela do Samba – 13/02 e 14/02

Estácio de Sá com enredo “De Braços Abertos, de Janeiro à Janeiro Sorrio, sou Rio, sou Estácio de Sá” com 299,7 pontos Campeã, Unidos de Padre Miguel com enredo “O Cavaleiro Armorial Mandacariza o Carnaval” com 299,4 pontos Vice-Campeã, Império Serrano com enredo “Poema aos Peregrinos da Fé!” com 299,3 pontos, Acadêmicos do Cubango com enredo” Cubango, a Realeza Africana de Niterói!” com 298,9 pontos, Paraíso do Tuiuti com enredo “Curumim Chama Cunhantã que eu Vou Contar…” com 298,8 pontos, Império da Tijuca com enredo “O Império nas Águas Doces de Oxum” com 298,7 pontos, Caprichosos de Pilares com enredo “Na Minha Mão é Mais Barato” com 298,2 pontos, Inocentes de Belford Roxo com enredo “Nelson Sargento – Samba, Inocente Pé no Chão” com 298,0 pontos, Renascer de Jacarepaguá com enredo “Candeia, um Manifesto ao Povo em Forma de Arte” com 297,4 pontos, Acadêmicos de Santa Cruz com enredo “O Pequeno Menino Que se Tornou Grande Otelo” com 296,5 pontos, Unidos do Porto da Pedra com enredo “Há Uma Luz que Nunca se Apaga” com 295,2 pontos, União do Parque Curicica com enredo “Os Três Tenores… do Samba” com 294,8 pontos, Alegria da Zona Sul com enredo “Kari’Oka” com 293,1 pontos, Unidos de Bangu com enredo “Imperium” com291,9 pontos, Em Cima da Hora com enredo “No Coração da Cidade, uma História das Mil e Uma Noites – O Rio das Arábias” com 288,4 pontos.

Sobem para o Grupo Especial as Escolas: Estácio de Sá

Foram rebaixadas para o Grupo 1 (AESCRJ): Unidos de Bangu, Em Cima da Hora.

Comentário: 

Para seu comentário ao final do Post utilize o Campo Deixe uma Resposta

Link para o Facebook:

https://www.facebook.com/mundocarnaval/

Referencias: Wikipédia, ourodetolo, g1globo,

Comments (2)