Governo do Rio libera R$ 1,5 milhão para profissionais do Carnaval

Governo do Rio libera R$ 1,5 milhão para profissionais do Carnaval

Crédito:  Redação SRzd

O governo do Rio de Janeiro lançou nesta quarta-feira (17) editais de mais de R$ 1,5 milhão para apoiar transmissões online para a escolha de sambas-enredo das escolas do Grupo Especial e de apresentações virtuais de blocos de rua ligados à Associação Independente dos Blocos de Carnaval de Rua da Zona Sul, Santa Teresa e Centro da Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro (Sebastiana) e à Associação Amigos do Zé Pereira, incluindo o Cordão da Bola Preta.

Os recursos sairão do Fundo Estadual de Cultura. A intenção é que o dinheiro chegue às pessoas que integram a cadeia produtiva do Carnaval, que, com a suspensão dos desfiles das escolas de samba e dos blocos de rua por conta da pandemia, ficaram sem renda.

Desta vez, a ação da Secretaria de Cultura vai garantir renda para profissionais que atuam nas escolas Imperatriz, Mangueira, Salgueiro, São Clemente, Paraíso do Tuiuti, Portela, Unidos da Tijuca e Vila Isabel. Cada agremiação uma vai receber R$ 150 mil. A escolha dos sambas-enredo será feita em quatro etapas, todas com transmissão pela internet. As apresentações eliminatórias e as finais ocorrerão na Cidade do Samba.

Antes disso, as escolas Mocidade Independente de Padre Miguel, Beija-Flor de Nilópolis, Viradouro e Grande Rio já tinham sido contempladas com recursos da Lei Aldir Blanc no mesmo valor, cada uma.

Na cerimônia, no Palácio Guanabara, sede do governo fluminense, o governador em exercício, Cláudio Castro, disse que, mais do que uma preocupação com a cultura, a falta de rendimentos dessas pessoas o preocupa. “O que mais me deixou aflito neste Carnaval foi cada emprego que não foi criado, foi aquela pessoa que não trabalhou. É além da cultura. É a vida de cada ser humano que importa hoje”.

Castro destacou que, mesmo com a dificuldade financeira que o estado vem atravessando com o período de recuperação fiscal, foi possível garantir os recursos do Fundo Estadual de Cultura. Segundo Castro, apesar de não terem valor elevado, junto com outras participações, os recursos vão ajudar as pessoas que ficaram sem renda por causa da pandemia .

“Pegar esse dinheiro para ajudar as pessoas tem o significado de olhar para a cultura, olhando para a pessoa. Não tenho dúvida de que, quando se olha para cada pessoa que não trabalhou, e com toda a dificuldade que o estado tem, consegue-se ajudar e se prepara o carnaval do ano que vem. Prepara-se um ano de solidariedade”, observou.

A secretária de Cultura, Danielle Barros, prometeu outros projetos para ainda este ano: “Esta é uma de outras iniciativas que a Secretaria de Cultura do estado do Rio de Janeiro implementará no ano de 2021 para fazer a arte acontecer”.

Paulo Costa

%d blogueiros gostam disto: