ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Rio 456 anos: Imagens do Rio Antigo são expostas nos postos de salvamento da orla em comemoração ao aniversário da cidade

Créditos: Fotos Rafael Catarcione/Riotur.

As praia de Copacabana e do Leblon, na Zona Sul, antes dos grandes edifícios, a Praça XV vista do antigo Morro do Castelo e a Prainha, na Saúde, antes dos aterros: registros como estes poderão ser vistos por cariocas e visitantes da cidade em uma galeria aberta ao longo dos 36 quilômetros da orla marítima do Rio até o fim de março.

A exposição IMAGENS DO RIO, uma iniciativa da Prefeitura do Rio, por meio da Riotur, começou no dia 1º de março, em comemoração aos 456 anos da cidade. As 48 fotografias do Rio Antigo estão expostas nos 24 postos de salvamento da orla, desde a praia do Leme até o final da praia do Recreio dos Bandeirantes.

As imagens foram selecionadas pelo Instituto Moreira Salles que gentilmente cedeu as fotografias de seu acervo e presenteou a cidade com registros históricos feitos entre 1870 e 1930 por Marc Ferrez, Augusto Malta e outros fotógrafos.

Cada um dos 24 postos de Salvamento exibe duas fotografias de aproximadamente 2m x 4m, somando assim 48 imagens, sendo cinco em Copacabana; seis no Arpoador, Ipanema e Leblon; uma em São Conrado; oito na Barra da Tijuca; e quatro no Recreio dos Bandeirantes.

Além das fotografias, os postos contam também com uma placa informativa sobre o projeto e um QR code que leva o visitante para o site do acervo do IMS (leia abaixo o texto do painel).

O projeto IMAGENS DO RIO, sem custo para a Prefeitura do Rio, contou com o apoio da concessionária que administra os postos, a OrlaRio, responsável pela montagem das fotos e confecção de todas as placas informativas.

UM RIO QUE RENASCE, UM RIO QUE RESISTE

O Rio de Janeiro tem sua história marcada por sua relação permanente com a orla, que até o século XIX definia-se pela linha d’água que se estendia do interior da baía de Guanabara, passando por Paquetá, Saúde e Gambôa, a Ilha das Cobras e a Praça XV, a praia de Santa Luzia, a Glória, Catete, Flamengo e Botafogo, chegando à Urca e à fortaleza de São João, na entrada da baia.

A partir dos primeiros anos do século XX, a cidade cresce ao longo da orla oceânica, com a crescente urbanização e desenvolvimento dos bairros de Copacabana, Ipanema, Leblon, São Conrado, Barra e Recreio. Aos poucos os trajetos viários costeiros, inicialmente as únicas vias de acesso a estes bairros, vão se somando a novas vias e entroncamentos que ligam diretamente os demais bairros que simultaneamente crescem e moldam o Rio, na zona norte, na baixada fluminense e na zona oeste. 

A orla é um patrimônio de todos os cariocas, assim como são também as imagens históricas aqui reunidas realizadas entre aproximadamente 1875 e 1925, de autoria de importantes nomes da fotografia brasileira, como Marc Ferrez e Augusto Malta, entre outros que registraram a cidade e suas dinâmicas, transformações e conflitos.  Memória e cidadania são os instrumentos essenciais para a construção de uma sociedade verdadeiramente capaz de enfrentar seus desafios, desigualdades e contradições, na construção de um futuro de efetivo pertencimento e participação crítica e consciente de todos que aqui vivem, nesta nossa cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro.